projecto cardo

O Projecto Cardo é uma associação que tem como principal objetivo intervir artística e pedagogicamente na sociedade atual através da música, focando grande parte do seu trabalho na preservação, divulgação e promoção da música tradicional portuguesa. Nasceu da vontade e da necessidade de criar uma equipa com o perfil, a sensibilidade e a generosidade necessárias ao trabalho de escutar, observar e aprender diretamente com a população e, por fim, transformar essa informação em objeto artístico ou em material pedagógico. A matéria prima do trabalho do Projecto Cardo é, assim, o saber de cada indivíduo com que se cruza e de cada comunidade com que se envolve.

O Projecto Cardo funciona sob a direção de Carmina Repas Gonçalves e Antony Fernandes, fundadores do Ensemble Cardo-Roxo e da Cardo-Amarelo – Escola de Música Tradicional, contando com uma equipa muito interessante e completa, que torna possível a realização dos mais variados projetos, de forma especializada.

A Cardo-Amarelo – Escola de Música Tradicional (criada em 2015) funciona com aulas semanais de: percussão (Tiago Manuel Soares), gaita de fole (Antony Fernandes), danças tradicionais (Joana Lopes) e o Coro Cardo (dirigido por Carmina Repas Gonçalves).

Além do trabalho regular de ensino da música tradicional portuguesa, a Cardo-Amarelo tem colaborado com diversos municípios no sentido de preservar os respetivos repertórios tradicionais e ajudar as comunidades a organizarem-se mantendo viva a vontade de cantar e tocar a sua própria música. É caso disso a colaboração com o projeto “Há Festa na Aldeia”, com o qual foram criados seis coros em pequenas aldeias inseridas na rede “Aldeias de Portugal”. Em moldes um pouco diferentes criou também dois coros no contexto urbano de Vila Nova de Gaia, inseridos no fórum FIGaia.

O ensemble Cardo-Roxo, criado em 2012, trabalha também com o objetivo de trazer à luz o repertório de tradição oral português, através da realização de concertos que, pelo seu carácter popular mas de grande delicadeza, chegam a qualquer pessoa, independentemente da origem ou comunidade a que pertença. A sua sonoridade resulta da mistura entre instrumentos tradicionais e antigos com arranjos contemporâneos, o que possibilita a realização de concertos nos mais diversos contextos: igrejas, auditórios, galerias de arte e até ao ar livre. Cardo-Roxo realizou já 4 edições de autor com o apoio da Antena2 (duas delas também com o apoio da Fundação GDA).

Nos anos de atividade, o projeto apoiou ainda dois grupos de música e um coro na produção dos seus discos: “Hai que Beilar” com o grupo feminino “Las Çarandas” de origem mirandesa; “Barren Lands” com o grupo português The Tumble Reeds; e "À Borda d’Água", disco gravado pelos Coros de Gaia e pelo ensemble Cardo-Roxo.

A equipa do Projecto Cardo trabalha diariamente para uma maior valorização da música, sensibilizando, envolvendo e ensinando. A música tradicional é uma expressão musical privilegiada na realização das diferentes ações do projeto, uma vez que esteticamente é unificadora. A identificação e o reconhecimento do repertório são muito importantes para a integração multigeracional, para a utilização da língua e das suas expressões mais antigas, para a exploração e atualização da herança cultural. 

A música pode e deve ser (como foi em tempos) uma expressão compreendida e dominada por todos e uma prática diária na vida das famílias.