Ensemble

Cardo-Roxo

Direção Artística

Antony Fernandes

Antony Fernandes nasceu a 31 de Março de 1984 em Paris, França. Mudou-se para Portugal ainda em criança e, desde cedo demonstrou grande aptidão para a música e para o teatro. Estudou teatro na Academia Contemporânea do Espectáculo que terminou em 2007 com média de 16 valores. Ao longo da sua formação e vida profissional teve a oportunidade de trabalhar com grandes profissionais do teatro portugueses e estrangeiros tais como António Capelo, João Paulo Costa, Kuniaki Ida no Teatro do Bolhão, Giorgio Barberio Corsetti no Teatro Nacional São João, Moncho Rodriguez, Lígia Falcão, Pedro Giestas no Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso... Trabalhou também com grandes companhias de teatro de rua tais como os ”Les Plasticiens Volants”, França e com ”Titanic Theatre”, Alemanha. Conta também com uma participação na série juvenil “Morangos com Açúcar”. Em 2009 é convidado pela Lérias, Associação Cultural, Miranda do Douro a desenvolver uma companhia de teatro comunitário onde cria vários espetáculos incluindo sempre a população local na criação dos mesmos. Enquanto músico aprendeu a tocar gaita de fole em 2006 com Ricardo Coelho e estudou música tradicional na escola Sjöviks Folkhögskola, Suécia. Foi fundador do grupo Míscaros e tocou em vários grupos de animação de rua. Musicou o espetáculo "Cântico dos Cânticos" do TeatroEnsaio e o "Vida do Grande D. Quixote de La Mancha do Gordo Sancho Pança" do Teatro do Bolhão. Lecionou gaita de fole em Miranda do Douro e em Cabeceiras de Basto. Tem também experiencia na produção e logística de grandes eventos tais como o Festival de Música Tradicional de Quintandona (atual Festa do Caldo de Quintandona) da qual fez parte do grupo de fundadores, Diç que hai Fiesta nel Pobo, Il Burro i l Gueiteiro, Feira de Instrumentos Musicais Ibéricos e o 1º Forum Internacional Gaia Todo um Mundo. Fez parte do Coletivo Identidades, é músico no grupo Gaiteiros da Ponte Velha; é fundador e formador em Cardo-Amarelo que se dedica ao ensino da música tradicional portuguesa.

Realizou vários projetos comunitários tal como o Há festa na Aldeia (2015, 2016, 2018) e Fórum Internacional Gaia Todo o Mundo (2017, 2018 e 2019).

Para terminar, é juntamente com Carmina Repas Gonçalves membro do duo Cardo-Roxo, um grupo em crescimento com quatro discos editados, e que conta com o apoio da Antena 2, Antena 1 e RTP 2.

Carmina Repas Gonçalves

Carmina Repas Gonçalves iniciou os seus estudos musicais em pequena, tendo estudado piano, violino, canto e viola da gamba na escola de música Concertino e mais tarde no Conservatório de Música de Lisboa. Cantou em vários coros e dirigiu o coro de alunas da Escola de Dança Ana Mangericão durante 2 anos, tendo mais tarde feito um curso intensivo de direção coral no Instituto Piaget. A par com o seu interesse e gosto pela música e pelo ensino da mesma, desenvolveu outras competências artísticas como a dança, (estudando durante vários anos na Escola de Dança Ana Mangericão, na qual viria a desenvolver-se em vários tipos de dança) e o teatro, terminando a licenciatura em Produção Teatral na Escola Superior de Teatro e Cinema em 2009.

Apesar de ter tido algumas experiências profissionais e académicas interessantes em teatro e dança, acabou por decidir que o seu caminho artístico seria dedicado sobretudo à música utilizando no entanto atualmente muitas das ferramentas adquiridas nesse processo de aprendizagem.

O início do estudo da viola da gamba (2004) coincidiu com a descoberta da música antiga e da música tradicional, temas sobre os quais se tem debruçado desde então. No que diz respeito ao estudo da música antiga, licenciou-se em 2013 na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo através da qual teve a hipótese de fazer 1 ano de Erasmus na Kungliga Musikhögskola i Stockholm (Suécia). Tem assim tocado com alguns músicos e grupos de renome como Concerto Atlântico (dir. Pedro Caldeira Cabral), Sete Lágrimas (dir. Filipe Faria e Sérgio Peixoto), Arte Mínima (dir. Pedro Sousa Silva), O Bando de Surunyo (dir. por Hugo Sanches) e Affetti d’Amore (um trio com Helena Raposo e Sandra Medeiros). No que diz respeito à música tradicional, teve a possibilidade de estudar um ano na Sjövik Folkhögskolan na Suécia e tem feito algum trabalho de investigação como autodidata. O seu trabalho nesse âmbito passa sobretudo pela pesquisa e divulgação da música tradicional portuguesa, trabalho esse que pode ser visto principalmente através do seu duo Cardo-Roxo (com o qual tem feito concertos por todo o país e pelo estrangeiro e lançou já os discos Alvorada, Vai-te Cuca, Volto Já e No Monte das Oliveiras) e do projeto educativo Cardo-Amarelo sedeado em Vila Nova de Gaia, no Ginásio Clube de Mafamude.

A par com a sua atividade artística, trabalhou como assistente do Curso de Música Antiga da ESMAE no qual organizou concertos, cursos e masterclasses e foi professora de música para bailarinos no Ginasiano Escola de Dança

Atualmente é professora de viola da gamba no Conservatório de Música de Coimbra.